terça-feira, 9 de outubro de 2012

Plano de Benefícios - Abordagem Tradicional e Moderna

     Na abordagem tradicional predomina o modelo do homem economicus: a suposição de que as pessoas são motivadas exclusivamente por incentivos salariais, financeiros e materiais. A remuneração obedece a padrões rígidos e imutáveis, atende a processos padronizados de avaliação de cargos dentro de uma política de generalização que se aplica a todos os funcionários, indistintamente e sem levar em conta suas diferenças individuais de desempenho. A remuneração é baseada no tempo e não no desempenho, com ênfase no passado do funcionário e em valores fixos e estáticos.

     Na abordagem moderna predomina o modelo do homem complexo: a suposição é que as pessoas são motivadas por uma enorme variedade de incentivos, como salário, objetivos e metas a atingir, satisfação no cargo e na organização, necessidades de auto-realização etc. Aqui, a remuneração obedece a esquemas flexíveis, atende a processos personalizados, dentro de uma política de adequação às diferenças individuais entre as pessoas e seus desempenhos. A remuneração é baseada nas metas e resultados a serem alcançados pelas pessoas, com ênfase no desempenho futuro e em valores variáveis e flexíveis.

     As organizações desenvolvem sistemas de recompensas capazes de provocar impacto direto na sua capacidade de atrair, reter e motivar os funcionários. Por um lado, as recompensas visam incentivar as contribuições das pessoas aos objetivos e à lucratividade da organização. Contudo, por outro lado, as recompensas afetam os custos laborais. Por esta razão, é importante compreender os aspectos básicos do desenho e da administração do sistema de recompensas. 

     As pessoas trabalham nas organizações em função de certas expectativas e resultados. Elas estão dispostas a se dedicarem  ao trabalho e às metas e objetivos da organização desde que isto lhes traga algum retorno significativo pelo seu esforço e dedicação. Em outros termos, o engajamento das pessoas no trabalho organizacional depende do grau de reciprocidade percebido por elas: na medida em que o trabalho produz resultados esperados, tanto maior será esse engajamento. Daí a importância em projetar sistemas de recompensas capazes de aumentar o comprometimento das pessoas nos negócios da organização.

2 comentários:

  1. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  2. Ótimo tema que foi discutido em sala de aula. A abordagem tradicional ou seja, do Homem econômico, nos diz que a pessoa é movida e motivada apenas por valores financeiros, e que as questões de benefícios são restritas ao que a lei determina. Já a abordagem moderna, estudada como Homem complexo afirma que a pessoa se motiva por outras questões além das financeiras, como planos e ações que priorizem a qualidade de vida do indivíduo e sua família, sendo uma excelente ferramenta de atrair e reter talentos.

    Márcio Severino (791)

    ResponderExcluir

Coloque seu nome e matrículaentre parênteses ao final de cada postagem ou comentário.